Cartografia

Projeções cartográficas

As projeções cartográficas são métodos geométricos que visam diminuir as distorções causadas na produção de mapas. Todo mapa terá alguma distorção, pois como a Terra é arredondada, é um grande desafio trazer informações de um espaço geográfico 3D para um plano 2D de um mapa. Para a construção de um mapa é utilizada uma das três propriedades seguindes:
CONFORMESMantém as formas, mas distorce o valor das áreas.
EQUIVALENTES: Distorce as formas, mas mantém o valor das áreas.
EQUIDISTANTES: Distorce as formas e o valor das áreas, contudo, mantém o valor das distâncias lineares e da escala.
Para cada porção da Terra, é utilizado um método diferente quando tratamos de escalas pequenas. Elas podem ser Cilíndricas, Cônicas ou Azimutais.
  • CILÍNDRICA
A projeção Cilíndrica é utilizada para fazer os mapas no estilo mapa-mundi. Elas são excelentes para mostrar a Terra como um todo, porém elas tem a maior precisão nas regiões tropicais do globo. Quanto mais nos afastamos do Equador, maior será a distorção. É facil observar que em projeções Cilíndricas, os ângulos formados entre uma latitude com uma longitude é de 90º, desta maneira é que é possível constatar as distorções.
 
A projeção Cilíndrica de Mercator
Fonte: http://www.brasilescola.com/geografia/projecoes-cartograficas.htm
A imagem acima, mostra uma projeção Cilíndrica que utilizou a propriedade Conforme para o mapeamento. É a projeção de Mercator, bastante utilizada des do século XVI, pois como distorce áreas com latitudes maiores, deu enfase as áreas temperadas do globo, ou seja, contribuiu para disseminar os ideais eurocentristas. Contudo, durante a guerra fria, apareceu a projeção Cilíndrica Equivalente de Peters na qual consegue destacar o real valor das áreas entre os países do norte e do sul, evidenciando desta maneira os países subdesenvolvidos.
As projeções Cilíndricas de Mercator (Conforme) e Peters (Equivalente)
Fonte: http://professoradegeografia.blogspot.com/2011/03/cartografia-linguagem-dos-mapas-i.html
  • CÔNICA
Este é um tipo de projeção bastante utilizado para mapear regiões temperadas do globo. Pelo fato de nesta projeção, os meridianos convergirem para um mesmo ponto, esta projeção ganhou o nome de “cônica”. Este cone pode ser de Norte e de Sul, dependendo da porção que quer-se mapear. A figura abaixo é um exemplo de uma projeção Cônica de norte.
 
A projeção Cônica
Fonte: http://www.brasilescola.com/geografia/projecoes-cartograficas.htm
  • AZIMUTAL (POLAR)
A projeção Azimutal, também chamada de polar ou plana, é usada para mapeamentos de regiões polares do globo. Ela é simplesmente um plano tangente sobre a esfera terrestre. É caracterizada por representar o símbolo da ONU.
 
A projeção Azimutal
Fonte: http://www.brasilescola.com/geografia/projecoes-cartograficas.htm
  • UNIVERSAL TRANSVERSA DE MERCATOR (UTM)
Também chamada de Projeção Conforme de Gauss, este é um tipo de projeção usada para escalas médias e grandes, ou seja, de maior detalhamento. O sistema de coordenadas UTM é um sistema ortogonal dimensionado em metros (ou quilômetros) em Norte (eixo de y) e Leste (eixo de x). A projeção é cilíndrica central e limitada a faixas de meridianos de 6 graus, ou seja, a cada múltiplo de 6 graus meridianos, passa-se para outro cilindro (Zona UTM ou Fuso UTM) de projeção.
Os cilindros teóricos de projeção tangenciam linhas meridianas centrais de cada fuso (na verdade são secantes para uma melhor distribuição de erros da projeção). Assim, para todo o globo terrestre, tem-se 60 zonas ou cilindros de projeção UTM começando a numeração a partir do anti-meridiano de Greenwich no sentido leste (60 fusos x 6º = 360º).
O cilindro na posição transversa da projeção UTM
Fonte: http://mine-net.blogspot.com/2010/04/pesquisa-mineral-procedimentos_07.html
Exemplo de um fuso UTM
Fonte: http://www6.ufrgs.br/engcart/Teste/coord_exp.html
O mapa abaixo foi confeccionado utilizando a projeção Universal Transversa de Mercator. Notar a grade de coordenadas (x, y) em metros:
Mapa de localização das bacias hidrigráficas dos rios Pequeno, Alto Cachoeira e Sagrado
Fonte: Monografia de Alexei Nowatzki (NOWATZKI, 2010)


Fonte do texto acima: http://professoralexeinowatzki.webnode.com.br/

Sobre o autor

Gabriel Caldeira

Técnico Ambiental, Blogueiro, youtuber, adepto a esportes radicais em meio a natureza, professor de geografia e de vários cursos virtuais, atualmente está cursando Geografia na PUC Minas. Trabalha incansavelmente, para promover o compartilhamento de informações relevantes na rede, escreve, grava, edita e compartilha todo tipo de coisa que envolva a geografia.
É aspirante a documentarista, engajado nas causas ambientais e sempre caminha no sentido da inovação.

Deixe um comentário