Climatologia

Elementos do Clima

A Temperatura na Atmosfera é considerada a quantidade de Calor que existe nela. 
 

A temperatura de um gás ideal está relacionada com a energia cinética média das partículas deste gás. Nesta animação, em escala, a relação entre o tamanho do átomo de Hélio e a distância entre eles seria a esperada para o hélio à temperatura ambiente e submetido a uma pressão de 1.950 atmosferas Mantidas as escalas, as velocidades das partículas aqui é significativamente muito menor do que a real
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Temperatura

   
Para medirmos a Temperatura de um lugar, usamos algumas escalas, como a de Fahrenheit, Celsius e Kelvin.
As escalas Farenheit, Celsius e Kelvin de Temperatura
Fonte: http://mundoeducacao.uol.com.br/quimica/escalas-temperatura.htm
   
Conforme os dias vão passando durante o ano, em função do eixo de inclinação da Terra, esta tem ao longo do ano, mudanças nas regiões que recebem mais calor. Sempre será mais quente nos locais onde o Sol estará mais perpendicular na superfície.
Um mapa múndi mostrando a média mensal da temperatura do ar na superfície
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:MonthlyMeanT.gif
   
Com os dados de Temperatura de um lugar, é possível fazer diversas análises para compreender melhor o Clima deste lugar. Dentre eles podemos destacar:
Temperatura Máxima: pode ser:  diária, mensal ou anual
Temperatura Mínima: diária, mensal ou anual
Média Térmica: média aritmética das Temperatura Máxima e Mínima
Amplitude Térmica: diferença entre a Temperatura Máxima e Mínima



A Umidade, é considerada a quantidade de Água que existe na Atmosfera. Ela pode ser tanto absoluta quanto relativa. A umidade absoluta, é a quantidade de vapor d’água que existe em uma determinada porção da atmosfera, por isso é medida em g/m3.

   
Já a umidade relativa, é a relação que existe entre a umidade absoluta e o ponto de saturação do ar. Ou seja, se o ar se encontra totalmente saturado com vapor d’água, dizemos que a umidade relativa do ar é de 100%, e depois disso o vapor começa a condensar, e passa a estar na forma líquida, formando as núvens, a neblina. Quando não existe nenhuma molécula de água no sistema, a umidade relativa do ar será de 0%.
   
De acordo com a figura abaixo, é possível verificar a variação diária da umidade relativa. Ela é maior nos períodos mais frios do dia, pois as moléculas de ar se encontram menos agitadas, ou seja, mais próximas umas das outras, deixando “pouco espaço para o vapor”. Quando começa a esquentar, o ar se expande, e com isso o ar se torna mais capaz de armazenar vapor, pois há mais espaço entre as moleculas de ar.
Exemplo de variação diurna da temperatura e umidade relativa
Fonte: http://fisica.ufpr.br/grimm/aposmeteo/index.html

A pressão atmosférica nada mais é do que a quantidade de peso que o ar exerce na Litosfera. Quando o ar se aquece, suas moléculas se agitam com mais intensidade, e com isso o ar tende a expandir. Com isso ele fica mais leve, criando zonas de baixa pressão atmosférica, também chamadas de ciclones, ou zonas ciclonais.

   
Quando o ar fica mais frio, acontece o contrário, menos agitação de moléculas causa uma certa contração do ar e estas moléculas tentem a se aproximar mais. Quando isso acontece o ar acaba ficando mais concentrado e consequentemente mais pesado. Porções de ar mais frio criam portando zonas de alta pressão atmosférica, ou zonas anti-ciclonais.

Relação entre temperatura e pressão
Fonte: http://conceitosetemas.blogspot.com/2009/03/dinamica-geral-da-atmosfera.html
  
Desta maneira, é possível perceber que conforme a temperatura aumenta a pressão diminui. Quando a temperatura diminui a pressão atmosférica aumenta consequentemente.

Aumento da temperatura causa diminuição da pressão
Fonte: http://www.prof2000.pt/users/elisabethm/geo7/clima/elementosp.htm
Uma consequência da diferença de pressão entre a Atmosfera, é o deslocamento do ar, denominado de vento. Este se desloca sempre das regiões de alta pressão para as de baixa pressão, ou seja, das áreas ciclonais para as anti-ciclonais.
A direção dos ventos de zonas de alta pressão para zonas de baixa pressão
Fonte: http://www.geografia7.com/a-pressatildeo-atmosfeacuterica.html
   
Outro aspecto importante se dá quando analisamos as diferenças entre pressão atmosférica em áreas com altitudes diferentes. Quanto mais próximo do nível do mar, mais próximo o ar estará do centro gravitacional da Terra, com isso a força de atração será maior e consequentemente o ar tentederá a ficar mais concentrado netas áreas de altitude baixa. 
   
A consequência disto será percebido principalmente na temperatura. Como o gás estará mais concentrado nas áreas de baixa altitude, ele conseguirá manter o calor por mais tempo, com isso o calor se mantém por mais tempo no ar. Já em áres mais altas acontece o contrário. O ar estará mais disperso e com isso tenderá a perder mais facilmente o calor.
 
 Colunas de ar na atmosfera com relação a altitude
 Fonte: http://www.prof2000.pt/users/elisabethm/geo7/clima/elementosp.htm
Quanto maior a altitude, menor a temperatura pois a pressão atmosférica será menor






Fonte do texto acima: http://professoralexeinowatzki.webnode.com.br/

Sobre o autor

Gabriel Caldeira

Técnico Ambiental, Blogueiro, youtuber, adepto a esportes radicais em meio a natureza, professor de geografia e de vários cursos virtuais, atualmente está cursando Geografia na PUC Minas. Trabalha incansavelmente, para promover o compartilhamento de informações relevantes na rede, escreve, grava, edita e compartilha todo tipo de coisa que envolva a geografia.
É aspirante a documentarista, engajado nas causas ambientais e sempre caminha no sentido da inovação.

Me siga: https://www.instagram.com/gabrielgeografando/

Deixe um comentário

Adicionar Comentário