Geografia Econômica

A onde estão as Energias Limpas????




O problema com a exploração e utilização do petróleo é muito maior do que se pensa, a questão para evitar acidentes não se resume à manutenção e fiscalização. Sempre haverá um risco contínuo com esses tanques enormes circulando por estradas ou rotas marítimas. O problema é a matriz energética  eu defendo a substituição e a eliminação gradual dos combustíveis fósseis por fontes renováveis alternativas como a energia eólica, solar e a energia das marés (implantadas em locais certos) ou a produção de energia nuclear desde que seja bem estruturado e monitorado assim evitando acidentes que são desastres ambientais.

O brasil ao investir na fonte hidrelétrica obtém um resultado muito bom na economia, porém fica fortemente dependente do fluxo de pluviosidade para alimentar seus reservatórios.Quando a chuva não vem instala-se um crise energética no País (como a que está ocorrendo neste momento).Outro fator de estrema importância é a precariedade do sistema elétrico do Brasil que é totalmente descapacitado e ultrapassado comprometendo e desperdiçando boa parte da energia gerada na fonte e este custo é repassado para o cliente que sem saber acaba arcando com os problemas das empresas geridas pela ONS (Operado Nacional Do Sistema)

Uma coisa é certa ainda não existe fontes de energia sustentável pois todas geram impactos seja na fabricação, instalação, manutenção, operação, reposição ou desativação.Os preços das chamadas fontes de energia limpas são “insustentáveis” chegando a casa dos Milhões de reais por pequenas quantidades do produto.Um bom exemplo é a energia solar, uma placa fotovoltaica pequena custa R$1.600,53  e gera muito pouca energia imagine quanto sairá o “investimento” para gerar a quantidade de energia que um morador gasta em média por mês. Devemos pesquisar antes de creditar valores nestas energias pois nem tudo que se vê ou lê nos jornais e revistas são fatos verídicos, por tanto devemos usar o coeficiente energético como critério para estabelecer uma fonte de energia viável para a população de acordo com sua individualidade, recursos econômicos e ambientais, e a posição relativa e absoluta do Espaço a ser inserido a fonte.

Por: Gabriel Caldeira Gomes

Sobre o autor

Gabriel Caldeira

Técnico Ambiental, Blogueiro, youtuber, adepto a esportes radicais em meio a natureza, professor de geografia e de vários cursos virtuais, atualmente está cursando Geografia na PUC Minas. Trabalha incansavelmente, para promover o compartilhamento de informações relevantes na rede, escreve, grava, edita e compartilha todo tipo de coisa que envolva a geografia.
É aspirante a documentarista, engajado nas causas ambientais e sempre caminha no sentido da inovação.

Me siga: https://www.instagram.com/gabrielgeografando/

Deixe um comentário